quarta-feira, julho 19, 2006

Sobre os silêncios desconfortáveis

Não existe vivalma que não tenha já experimentado um momento em que se proporciona um "silêncio desconfortável". A designação não dá muita margem de manobra, mas a verdade é que um silêncio desconfortável não têm necessariamente de ser desconfortável. Apenas, nós patarecos, ainda não atingimos um nível de maturidade e honestidade neurológica que nos permita enfrentar esses momentos com uma postura do tipo:

"Obviamente não tens nada de relevante ou interessante para me dizer. Eu, pela minha parte, também não. Ainda assim estou disposto a investir algum tempo neste silêncio, não só porque aprecio a tua presença e companhia, mas também porque tenho confiança na tua e na minha capacidade de comunicar. Bastas-me e eu basto-te, neste momento".

1 comentário:

S.B. disse...

Os silêncios só são desconfortáveis quando não tens confiança com a pessoa, como se não estivessem ainda na mesma frequência de comunicação. Quando acontecem eu acabo sempre a rir-me sozinha da situação e a deixar a outra pessoa ou desconfortável ou a pensar que sou apanhada da mioleira...