quarta-feira, novembro 30, 2005

"I want you to get into the deep beautiful melancholy"


A mais recente produção de Cameron Crowe dificilmente poderá ser enquadrada dentro de um género. É um drama, é uma comédia, é um romance, é uma comédia-romântica, é tudo isso e mais que outras perspectivas vejam.



Esta crónica de um suícidio anunciado, faz-me lembrar a moldura que Paulo Coelho monta no seu "Veronika decide morrer"(único livro completo que consegui digerir do senhor). Muito sumariamente, o horizonte de uma morte desejada mediada pela redescoberta da vida.

A viagem que Drew(Orlando Bloom)inicia, a todos os níveis, tem como pretexto a morte do pai. A caminho da terra Natal conhece a querídissima Claire(Kirsten Dunst) que irá acessorá-lo nesse caminho que está prestes a percorrer. Claire é o elemento chave do filme, embora viva um pouco na sombra do protagonismo que Drew tem necessariamente. É ela quem catalisa toda a metamorfose do índividuo, aparantemente determinado a suicidar-se, mas não muito convicente(fica a ideia que Orlando Bloom deve ficar-se pelos Blockbusters de fantasia).

O filme vive muito de sequências, que pautam o ritmo. Algumas são verdadeiramente extraordinárias, como é o caso da performance obituária da Susan Sarandon sapateando e deslumbrando uma plateia desconfiada, como é a interminável e cansativa conversa telefónica do par "romântico??", como é a Road trip final.

O final poderia ter sido em pelo menos duas alturas, e eu iria para casa feliz da vida, porque de facto gostei. No entanto, Cameron optou por arrastar o filme quebrando um pouco a dinâmica que tinha imposto. Não se perdeu nada de fundamental, mas também não se ganhou. A sequência final é um placebo que serve apenas para adicionar minutos à película.

Off-Topic On Topic

Já que se fala em coincidências algures no Blog. Não posso deixar de partilhar uma que vem a reboque deste filme. Há uns tempos disse a uma amiga, que ela é muito parecida com a Kirsten Dunst(não, seus rebarbados, não era couro, é mesmo verdade, ainda assim ela pareceu ficar muito ofendida com este maravilhoso elogio), amiga essa que partilha parte do nome do filme - Elizabeth.

1 comentário:

Sérgio "França" Mendes disse...

Kirsten Dunst és uma badalhoca!!
Vem....Vem dar uma voltinha a Lisboa, vais esquecer o narço hollywoodiano!!